13.1.07

Ao vivo

Hoje no Zapping News:
Comentário sobre a cobertura televisiva do acidente na obra do metrô em São Paulo...

"Interesse Público"

O acidente na obra da estação de metrô de Pinheiros, da nova linha amarela, na zona oeste em São Paulo causou espanto e supresa a todos (eu mesmo que trabalho do outro lado da marginal pinheiros quase de frente para essa obra fiquei aturdido com o acontecido). Contudo o que choca é como esse tipo de acidente é explorado pela mídia.

O acidente aconteceu sexta-feira (12/01), e contou com flashes ao vivo, imagens de helicóptero e tudo que um assunto do porte exigia. Correto! Mas no dia de hoje, sábado 13, sem grandes novidades sobre o acontecido a TV RECORD ficou horas a fio ao vivo, mostrando imagens da obra, repetindo um vídeo amador produzido por celular em que mostrava um caminhão caindo em meio ao deslizamento.


Desgastante e aborrecida esse tipo de cobertura que visa audiência e não interesse público, como dizia o jornalista Celso Zucatelli que encabeçou a transmissão.

10 comentários:

Marina,  14/1/07 00:10  

é incrivel né!
eu não vi, mas minha vó comentou hoje que ficou a tarde toda passando. Imagine, se nem ela entendeu o porque...

adorei o blog Betão, variedades ^^

beijoos

Alexandrina Santos - Jornalista,  16/1/07 10:45  

Sempre acesso o teu blog, mas tenho de discordar, Alberto. Acho que a Record detonou na cobertura, enquanto a Globo exibia Faustão. Quem tem de usar a região próxima do acidente, ou tem parente envolvido, concorda comigo. Chatice é pra quem "se isola". Isso é prestação de serviços. Me espanta o fato de você ser estudante de jornalismo e pensar dessa maneira. De qualquer forma, continuarei acessando seu blog porque gosto da maioria dos posts que leio por aqui. Com excessão deste, obviamente.

Um abraço,

Alexandrina

Augusto Seixas,  16/1/07 14:24  

Quando me enviaram um e-mail sobre esse seu comentário, fiquei revoltado. VERGONHA! Esse é o termo pra esse seu post, garoto. Quando uma emissora decide investir no jornalismo e cobrir "o maior acidente na história do metrô", vem um estudante, talvez motivado pelas opiniões emitidas nos debates das aulinhas da faculdade e não da própria vivência do jornalismo, escreve uma besteira dessas. Se uma emissora resolve usar o jornalismo para buscar a audiência, mostra uma enorme evolução. A Rede Record deu um exemplo nessa cobertura. A iminência de novos deslizamentos motivou uma cobertura extensa, menino. Não coloque SBT no mesmo pacote que a Record. O trabalho do jornalismo da emissora foi invejável e admirável. É uma pena que a tecnologia também tenha o lado negativo de permitir que qualquer menino inexperiente coloque opiniões estapafúrdias e sinta-se no direito de tornar-se um crítico de televisão sem base e experiência para isso. Ridícula sua crítica. O mercado louvou a cobertura. A emissora foi elogiada pelos mais conceituados críticos de jornalismo do Brasil. Mas com sua opinião você pode mostrar aos seus amiguinhos como você é polêmico e revolucionário.

Kalleo,  16/1/07 23:04  

Caro Augusto Seixas, você é que deveria ter vergonha de dizer que "É uma pena que a tecnologia também tenha o lado negativo de permitir que qualquer menino inexperiente coloque opiniões estapafúrdias e sinta-se no direito de tornar-se um crítico de televisão sem base e experiência para isso.".
Mesmo que as opiniões dele fossem estapafúrdias - coisa que não são - ele teria o direito de expressá-las, afinal vivemos numa sociedade democrática, não é mesmo?. Ou você só defende a liberdade de expressão e imprensa quando a record não é criticada?

Luís 17/1/07 11:12  

Caros Alexandrina e Augusto Seixas... a questão não é se a cobertura da Record no domingo foi melhor que o Faustão da Globo. Uma tela com 4 horas de black somente já é bem melhor do que o Faustão. O que aconteceu com a Record e com outras emissoras menores foi a mais pura exploração sensacionalista dos fatos SIM. Isso é tão inquestionável e absurdo, que é até difícil comentar, mas não sei se os senhores superjornalistas tiveram tempo para ver na internet uma matéria do UOL apontando o crescimento da audiência dessas emissoras com o ocorrido. Agora, se vocês consideram cobertura séria a Ana Hickman falando o quão horrorizada ela ficou com o fato, ou o Brito Jr. se prestando ao papel "Datena" de dizer que isso é um absurdo e que foi uma irresponsabilidade tremenda (óbvio até para a minha bisavó), ou ainda os repórteres se degladiando pra conseguir um "depoimento" da mãe de uma provável vítima do acidente, uma mulher louca que não falava nada com nada e só fazia pregações evangélicas na frente da câmeras, se usando da própria desgraça para aparecer. Meus amigos, se vocês são jornalistas e consideram isso uma cobertura séria, realmente dá pra entender o por que de tanta palhaçada na televisão brasileira. Ahh, aproveitem também, enquanto assistem a "cobertura" da Record e comprem uma câmera digital, apresentada no meio dos programas "jornalísticos". Assim vocês podem mostrar depois para os filhos, como vocês presenciaram "o maior acidente da história do metrô de SP", ou melhor usem esse material como portifólio para pedir emprego nessas emissoras.

E olha que nem o Faustão, nas suas exaustivas horas de programa fútil se dignifica a vender máquinas digitais ou remédios pra emagrecer!!!

Anônimo,  17/1/07 12:38  

É verdade, o o brilhante jornalista ALberto Pereira Jr. que merece destaque....

Anônimo,  17/1/07 12:46  

Caro Kalleo,

A liberdade de expressão e imprensa a que você se referiu deve existir, mas é preciso responsabilidade para criticar. Senão qualquer um pode virar um crítico, não é mesmo? O Blog é uma ferramenta a que todos podem ter acesso. Então o Alberto deveria se informar mais antes de tecer comentários desse tipo. Afinal de contas, qual é a experiência dele em conberturas de grandes acontecimentos? Qual é a experiência dele em telejornalismo? Canal Universitário?

Augusto

Anônimo,  17/1/07 12:49  

vai cobrir a parada gay!

Anônimo,  17/1/07 15:16  

A turminha tá brincando de jornalistas...

Anônimo,  17/1/07 15:41  

Quando vocês souberem o que é cobrir grandes tragédias, ou qualquer fato corriqueiro mesmo - o importante é começar a trabalhar - poderão dizer se é sensacionalismo e fazer diferente. Por enquanto vão treinando no curso de jornalismo da Abril e no Canal Universitário - pausa pra gargalhada. Só um detalhe: tudo o que vocês pensam é discutido nas aulinhas e vocês transcrevem? Porque daí é mais fácil passar o link dos blogs de quem realmente pensa assim. Reproduzir qualquer um faz.

E chega de comentar o blog do viadinho....

          © Zapping News - Blog Design Emporium Digital | Daniela Milagres

TOP